A beleza começa no momento em que você decide ser você mesma - Coco Chanel

RE-FORMA VISUAL: SINGULARIZANDO O PADRÃO DE BELEZA

COMO SER AUTÊNTICO SENDO QUE SOMOS PRODUTOS DO MEIO EM QUE VIVEMOS? A pergunta que não quer calar!

Esse não vai ser um texto fácil de escrever. Autenticidade nem sempre foi uma palavra presente no meu vocabulário. Não é fácil lidar com a autenticidade, a maioria de nós tem ou já teve problemas com ela e no fim das contas tudo gira em torno de vínculos.

VÍNCULOS E PADRÕES

É isso mesmo, VÍNCULOS! Calma! Eu sei que tá confuso, mas aguente firme aí que a gente chega lá. A maioria de nós já ouviu a frase “O homem é um ser social” de Aristóteles. Na faculdade de psicologia a gente estuda isso bem de perto, mas é no aprendizado cotidiano da vida que eu tenho aprendido isso de maneira profunda e significativa.

E hoje eu posso afirmar com alguma certeza que estamos nesse mundo, nessa vida, para criar vínculos com as pessoas. Nós fomos feitos para nos conectar! E partindo do pressuposto de que nossa imagem é mais uma, dentre tantas outras, ferramentas de comunicação de que dispomos, fica mais que óbvio que no fim do dia a nossa imagem é, portanto, uma FERRAMENTA DE CRIAR VÍNCULOS!

Antes de aprofundar um pouco mais no assunto eu quero que você veja esse vídeo. Essa música representa bem o que eu estou falando, as minhas dores e provavelmente as suas também.

Começar por aqui é interessante porque o processo de reforma visual começa justamente com a retirada de toda a “maquiagem” que usamos para nos proteger. Uma boa respirada. E uma olhada sincera, e muitas vezes dolorosa, no espelho buscando reconhecer quem é a pessoa ali refletida. Esse é o ponto de partida: você!

Porém a gente não pode esquecer que você não é um átomo solto no espaço, perambulando por aí sozinho.

Homem sozinho olhando para a terra do espaço
Via google

Nós vivemos em sociedade, com normas, expectativas e… PADRÕES.

SER SOCIAL

Nós somos seres sociais e por isso fazer parte de um grupo, ser reconhecido, aceito e amado é tão importante para nós.

Existem inclusive estudos que apontam que as relações sociais são tão importantes que a sua ausência é o principal fator de risco para a saúde quando comparado aos efeitos de cigarro, pressão alta, obesidade e falta de atividade física.

Via google

Ao longo da vida nós fazemos parte de vários grupos sociais (família, trabalho, amigos, etc) e desempenhamos diversos papéis (mãe, filha, esposa, amiga, tia, chefe, colega de trabalho, etc).

E esses grupos possuem normas e padrões, inclusive de beleza, a serem seguidos se você quiser fazer parte deles. Aqui os padrões de beleza têm grande peso, pois, se para nós, criar vínculos com outras pessoas é essencial, logo produzir uma boa primeira impressão será fundamental.

A nossa imagem é responsável por mais de 50% de uma primeira impressão.

Life depends on first impressions - padrão
A vida depende de primeiras impressões – via google

Somos produtos do meio:

E é isso o que quero dizer quando afirmo que somos produtos do meio em que vivemos. Nós queremos fazer vínculos e viver em grupos (família, amigos, colegas de trabalho, etc.). E esses grupos são formados em sua maioria por afinidades. Afinidades essas que podem ser observadas no modo de se vestir e de se comportar. Se observarmos os adolescentes isso fica muito óbvio.

Taylor Swift, Gigi Hadid, Karlie Kloss e Lily Aldridge
Um “squad” polêmico pra descontrair – via google

Ao longo da vida esses grupos nos influenciam, a começar pela família que é o nosso primeiro grupo de convivência e onde desenvolvemos nossos primeiros traços de personalidade. E nesse sentido os padrões que esses grupos seguem acabam por nos influenciar também.

E é pensando nisso que uma das primeiras atividades da reforma visual é fazer um diagnóstico da sua vida atual. Quem é você? De onde veio? Qual é a sua rotina? Quais são suas prioridades? Quais os papéis que você desempenha hoje nos diversos contextos e círculos sociais da sua vida?

Tudo isso pra gente identificar quais são esses padrões que te influenciaram e que ainda te influenciam. E mais importante, quais deles realmente tem a ver com você e com a imagem que você quer transmitir!

É impossível dizer que uma pessoa não segue nenhum padrão, nem que sejam padrões criados por nós mesmos, nós seguiremos padrões. E isso não é necessariamente uma coisa ruim, mas, justamente por vivermos cercados por tantos padrões que se torna muito mais difícil (mas não impossível!) falar de autenticidade.

 OS FAMOSOS, MAS TEMIDOS PADRÕES

Padrões existem! Aceita que dói menos!

Eles estão na natureza e são parte da sociedade em que vivemos. Milhões de anos de evolução nos programaram para buscar por padrões.

Padrão em folhas de aloe vera
Via google

E a verdade é que nós gostamos deles, nos sentimos seguros com eles, pois eles nos ajudam a prever coisas e evitar “desagrados”. Além disso, seguir um padrão é, teoricamente, mais fácil do que se haver com a autenticidade e nos responsabilizarmos pelas nossas escolhas e por nossos atos.

Mas Débora, você está louca? Você está me dizendo que é mais fácil seguir esse padrão de beleza massacrante imposto pela mídia?

amy schumer chocada
via google

Muita calma nessa hora! O importante de se compreender aqui é:

1 – Padrões existem e em algum grau eles são importantes para a nossa vida em sociedade

2 – Goste você disso ou não, somos altamente influenciados por esses padrões (e fique sabendo que “não seguir um padrão de beleza” é quase que um novo padrão, se já não for. Fica esperta amiga!)

3 – A grande questão é: como você lida com isso tudo! Com crítica e autenticidade ou com conformismo?

BELEZA: UM PADRÃO?

Beleza é algo extremamente subjetivo. O que é bonito para mim não necessariamente o é para você. E, além disso,os padrões de beleza mudam conforme o tempo passa.

No Renascimento o padrão era uma mulher mais cheinha e com muitas curvas. Durante muitos anos o padrão de beleza foi ser magrinha ter peitão, o que já está mudando novamente (leia esse texto)

Mudam as roupas, os cortes de cabelo, as formas do corpo, mas ele está sempre lá, o temido padrão!

Isso acontece porque, como eu disse acima, nós gostamos e buscamos por padrões e, apesar de sermos únicos, temos gostos e características em comuns com outras pessoas. Principalmente com aquelas do nosso círculo social… lembra que eu disse que nós nos unimos por afinidades? Então!

Tudo isso é padrão! Quando você está fazendo novos vínculos você busca por padrões (modo de se vestir, comportamentos, gostos pessoais) que te indiquem se aquela pessoa será uma boa amiga ou não.

Padrão à venda:

O maior problema é que os padrões disseminados pela mídia tem a função de VENDER. E a venda é baseada no preenchimento de uma FALTA, logo esses padrões não visam nos fazer sentir bem e completas, mas o oposto. E aí se o padrão vigente é a sua única referência você entrou em uma batalha perdida!

Primeiro porque o objetivo final dele não é te fazer sentir linda e completa. E segundo porque nem todos nós temos aptidão genética para nos adequarmos exatamente a um determinado padrão.

E é aqui que está o pulo do gato! Acompanha o raciocínio….

Gato pulando
via google

A forma como você encara o padrão tem dois caminhos:

1 – Você busca se aproximar dele seguindo o estilo e as tendências vigentes.

2 – Você se aproxima da sua autenticidade, reconhece o que é valor para você e analisa o padrão vigente por essas lentes, acolhendo apenas o que faz sentido para você.

Nenhuma dessas duas formas está certa ou errada. O importante é que o caminho escolhido faça sentido e seja autêntico. Importante mesmo é compreender que não existe perfeição. O padrão vigente não é, nem nunca foi, perfeito. Mesmo a pessoa mais bonita e bem resolvida do mundo tem suas inseguranças. Por isso é preciso fazer as pazes com o espelho.

Eu, por exemplo, me identifico com várias coisas do atual padrão, e isso não é problema! O problema é abraçar causas que não são suas, é tentar se encaixar em um modelo que não te representa, que não alimenta seus valores, que não faz sentido pra você.

VALORES E AUTENTICIDADE

E aqui chegamos à parte que eu mais gosto de todo o processo de reforma visual: é hora de descobrir seus valores! Vivaaa!!!

Via google

Eu fiz essa atividade duas vezes, uma na terapia e a outra no meu processo de coaching. E eu encho a boca pra afirmar que MUDOU A MINHA VIDA!!!!!!

Amiga, reconhecer o que é importante para você, o que é valor DE VERDADE, não esses velhos clichês que a gente curte ficar repetindo por aí, vai te libertar! Foi aqui que meu processo de abraçar a minha autenticidade alçou voo e é aqui que o seu vai seguir o mesmo caminho!

E o que os seus valores tem a ver com a sua imagem? TUDO!

Falhas de comunicação e valores pessoais:

Você tem ou já teve a sensação de só atrair homens/mulheres que não prestam? De que, apesar de super capacitada e esforçada, você nunca consegue aquele emprego dos sonhos? De que as pessoas não te entendem e você precisa ficar explicando pra elas quem você é? Você já ouviu “Nossa, pensei que você fosse completamente diferente!”?

Provavelmente isso acontece porque a sua imagem não está alinhada com seus valores. Você provavelmente deve estar transmitindo uma mensagem visual que não é compatível o que você realmente quer e com o que realmente é importante para você, com seus valores!

Você já comprou roupas que nunca usou? Você tem aquela peça no guarda roupa que toda vez que você olha pra ela você pensa: “onde eu estava com a cabeça?” Você tende a comprar por impulso e depois não gostar do que comprou? Você busca a todo custo seguir um padrão de beleza, mas nunca consegue e isso te deixa triste e miserável?

Então, amiga, você anda fazendo escolhas que não alimentam seus valores. Você está por aí gastando seu rico dinheirinho com coisas que não te deixam feliz porque essas coisas não estão alinhadas com seus VALORES!

Despertando sua autenticidade:

Descobrir quais são os seus valores vai te indicar o caminho do que é REALMENTE IMPORTANTE para você! Quais são suas PRIORIDADES DE VIDA!

E uma vez que você sabe disso, você está livre para ser AUTÊNTICA! Para dirigir sua vida na direção que te fará plena! Se você sabe o que te move fica muito mais fácil definir se esse ou aquele padrão tem à ver com você e se você quer ou não segui-lo!

A beleza começa no momento em que você decide ser você mesma - Coco Chanel
A beleza começa no momento em que você decide ser você mesma – Coco Chanel

Pra você entender melhor, vou dar um exemplo de uma das minhas clientes. A Cris (nome fictício, claro!) chegou até mim chateada porque ela percebia que as pessoas tinham receio de se aproximar dela e a achavam muito brava. Acontece que a Cris é uma pessoa super extrovertida e gente boa, mas estava transmitindo uma mensagem visual oposta! Completamente fora dos seus valores: troca, alegria, diversão, liberdade, conforto, cuidado, aceitação, etc.

E o que foi que nós fizemos? Sabendo quais eram os seus valores e o seu objetivo nós construímos uma imagem que passasse acessibilidade, pra que ninguém tivesse medo de falar com ela de novo, jovialidade e irreverência. Para isso usamos de peças básicas e neutras, que tem a ver com os valores conforto e liberdade, e abusamos de acessórios coloridos e divertidos. Além disso também modernizamos a cor e o corte do cabelo, deixando ela mais jovem, bonita e aberta para o mundo.

Tá vendo só como saber seus valores faz TODA diferença?!

 VULNERABILIDADE

A grande dificuldade que eu percebo em mim mesma e nas minhas clientes é que autenticidade envolve VULNERABILIDADE. Ser autêntico requer se permitir ficar vulnerável.  E normalmente a gente não lida muito com isso, não é?

A busca pela perfeição, por atingir o padrão de beleza vigente a qualquer custo, nada mais é do que uma batalha contra a vulnerabilidade, contra o medo de nunca sermos bons os bastante. Pensamos que se formos iguais à capa da revista seremos aceitos e amados.

Capa revista Metro Magazine - May 2016
Via Metro Magazine – May 2016

Eu mesma já fui dessas. Vivi muitos e muitos anos tentando contornar a minha vulnerabilidade e tentando me adaptar a padrões que não satisfaziam meus valores, porque eu achava que se atendesse às expectativas de outras pessoas elas me amariam e me aceitariam.

E isso minava a minha autoestima, porque o que eu estava fazendo era transferir a minha autoestima para o que as outras pessoas pensam, buscando alimentar os valores de outras pessoas.

Porém nem esses padrões e nem essas pessoas alimentavam MEUS valores e eu passei alguns anos me privando da experiência mais emocionante dessa vida: a aventura de ser eu mesma, de me deixar ser conhecida pelos outros e, assim, construir vínculos realmente significativos.

E é por isso que eu digo à você: em vez de ficar aí tentando se adequar a um padrão que não tem a ver com você, se conheça e busque padrões que te façam feliz. Ouse ser autêntica!

A coragem de ser quem você é:

 “Não é o crítico que importa; nem aquele que aponta onde foi que o homem tropeçou ou como o autor das façanhas poderia ter feito melhor. O crédito pertence ao homem que está por inteiro na arena da vida, cujo rosto está manchado de poeira, suor e sangue; que luta bravamente; (…) que, na melhor das hipóteses, conhece no final o triunfo da grande conquista e que, na pior, se fracassar, ao menos fracassa ousando grandemente. (O homem na arena –  Theodore Roosevelt)”

Eu li essa citação pela primeira vez em um livro que eu amo e recomendo muito – “A Coragem de ser Imperfeito” da Brené Brown, e ela se aplica a diversos contextos. Mas, pra gente aqui o que ela significa é: ouse ser você mesmo! Ouse ser o seu próprio padrão!

A Coragem de Ser Imperfeito
A Coragem de Ser Imperfeito

ENCERRANDO

A sua imagem é uma ferramenta de fazer vínculos e pode ser usada para gerar pertencimento aos grupos com os quais você se identifica. E, em função disso, ela provavelmente vai seguir alguns padrões definidos por esses grupos. Mas isso não é necessariamente uma coisa ruim. Se você escolhe seus grupos baseado em afinidades e nos seus valores, tá tudo certo!

Seguir padrões não é necessariamente uma coisa ruim. Muito pelo contrário, os padrões são muito úteis para a humanidade. A grande questão é se os padrões que você está seguindo alimentam seus valores, se eles representam o que realmente importa para você, se através deles você desempenha os papéis que quer desempenhar na vida e se eles te ajudam a mostrar ao mundo quem você realmente é.

Os padrões que você anda seguindo te representam? Sem sim, então relaxa que tá tudo certo!

Se não, vale relembrar que o amor é a essência da vida. Nós viemos ao mundo para aprender a amar e porque não começar por nós mesmos? E se você precisar de uma ajudinha com isso eu estou aqui!

 

1 pensamento em “RE-FORMA VISUAL: SINGULARIZANDO O PADRÃO DE BELEZA”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *